segunda-feira, 27 de maio de 2013

Dírio Rodrigues Dambile - Quando escrevo



Quando escrevo



Quando escrevo não me vingo
Quando escrevo desabafo
Conquisto pessoalmente a minha liberdade
Quando escrevo chamo e marco presença
Quando escrevo me denuncio
Desfarço os segredos do meu coração
e desato o meu nó.

Quando escrevo
Sufoco as tristezas e mágoas
Dissolvo a dor que escraviza a minha alma
Quando escrevo apareço
Quando escrevo sou EU.