sexta-feira, 26 de julho de 2013

Heraclito Mucache - Sem Título



este poema começa com um riso
o riso rouco e estridente do louco
o louco que percebeu que a vida não passa de pura comédia
comédia tragicômica, protagonizada por dois homens
os homens que entoam os cânticos para atrair as aves infantis
as aves infantis que entreolham-se espantadas e incapazes
incapazes de manifestar a sua ira
ira que nasce do espanto e da indignação,
da fome, da nudez, da escassez de respostas
as respostas que os dois homens fingem não dar
… mas como não darão o que não desconhecem…?
há um ou dois homens, que julgam ser os tais
que possuem um olho entre uma cambada de cegos
(o olho de hórus)?
Que tal, mas que tal, caros caçadores
Lhes provarmos o contrário?

por que não fazer um favor ao capim
abatendo os dois elefantes?
Talvez essa seja a hora de novamente matarmos o cão tinhoso!!!

Novas armas para uma nova geração
Novas espingardas para um novo fogo

Este poema termina com um choro
Choro pelos que partiram e aqueles que ficaram e vivem
agora ofuscados pelo medo, algures em MUCHUNGUE…