segunda-feira, 7 de abril de 2014

Master Proto - Moral e Civica - vol. 1


DOWNLOAD MORAL E CÍVICA Vol.1 EP






LETRA "VIOLENTASTE-A"

Eu fui vítima o meu marido dava-me o que conseguia
Quando as condições melhoraram já não me via
E para mostrar que já não me queria violava-me todos os dias
Ate que um dia fui parar na cama do hospital quase sem vida.

 1ª Parte

Quem é que lavava tua roupa e engomava às feiras abria a porta quando chegavas a madrugada
Quem é que ao acordares a cama arrumava
Na volta do teu trabalho a tua mesa preparava
Comida caprichava a casa aromatizava hoje esta mulher se encontra hospitalizada

Outrora doce mulher cinderela virou tua escrava
Conheceste a felizarda te envolveste com a Mafalda
Que não trajava, vestes de capulana
Como é que foste capaz de oprimir a mãe africana

Por ter te perguntado como é que foi o teu trabalho
A razão de teres chegado tarde ela acordou com o olho inchado
Já não sentas com ela, não planejas não conversa
Tens dado os carinhos a Anabela porque não te estressa, não te esqueça, das tuas promessas, ela esteve contigo quando atravessaste a ponte da pobreza

Todas noites procurava cantos pra chorar sem que alguém a ouvisse dia seguinte ias a vitimar
Eu falo isso, ela esta no hospital
Segundos cotados vivendo de soros para se alimentar.

2ª Parte

Ela já não faz filhos
Devido as tua agressões a envolveste num martírio
Naquela doce mulher já não se esboça o sorriso
Será que ser homem é fazer o que fizeste trata-la como lixo
Obriga-la a fazer o que não quisesses caso não te obedecesse
A espancarias obrigatoriamente tinha que fazer o que te apetecesse
Compraste luvas de boxe pra mostrar o teu machismo
Pra mostrar que nada valia e que não tinha efeito o feminismo

Ausentaram se os presentes, te tornaste mais ausente para a tua amante presente tua vida era farras e zona quente
Oprimiste-a sem ressentimentos
Tudo que fazias era causas com falsos precedentes
Covarde… fez do teu lar um cativeiro
Na maré onde te afogavas tu eras o catraieiro
Seu patranheiro
Quase que levaste a doce mulher com pancadas e magoas ao enterro
Durante anos ao teu lado infeliz
Eu vou ajuda-la a sarar essa triste cicatriz
Durante anos ao teu lado infeliz eu vou rezar pra serrar essa triste cicatriz.

Graças a Deus consegui me recuperar,
peço mulheres, não soframos caladas,
denunciem.